Raça
Uma raça pura, dócil, resistente e muito fertil. Ideal para cruzamentos.

Cinco milênios de borda de deserto temperam essa raça de cor laminada do aço, dando origem a um dos mais rústicos herbívoros da terra: o Kankrej. De origem indo-paquistanesa, a raça é, certamente, um dos zebuínos mais exóticos, dotada de qualidade milenar, que sobreviveu à seleção natural da espécie e passou a ser valorizada pela excelente capacidade leiteira, bom desempenho no ganho de peso, tração para os trabalhos agrícolas e pela sua mansidão.

Brasileiros visionários importaram da Índia algumas raças para multiplicar o rebanho, dentre elas o Kankrej. Durante essa empreitada, em função do cruzamento entre as raças, o potencial genético quase se perdeu, no entanto, quando foi possível elaborar um novo padrão zootécnico, constatou-se uma raça semelhante à Kankrej, batizada de Guzerá.


Diferenciais da raça:

• Guzerá Marca S: manso, fértil e muito precoce em acabamento de carcaça.
• É a única raça zebuína que pode ser considerada de dupla aptidão: carne e leite.
• É a raça zebuína de maior rusticidade, melhor conversão alimentar e preparada para enfrentar às intempéries climáticas.


Conversão alimentar

Necessidade de matéria (em Kg) para converter em 1Kg de peso.

O Guzerá tem demonstrado ser a melhor opção com os melhores resultados nos cruzamentos entre raças (zebuínas e europeias). Quando cruzada com outra raça zebuína, aumenta a produção leiteira das crias, com ganhos na habilidade materna, associada a um ganho de peso médio superior. Quando cruzada com raças europeias, aumenta a rusticidade destas, viabilizando a criação de mestiços, mesmo nas mais severas condições climáticas.


Ganho de peso diário

(Grama/Dia)


Hoje, existem vacas Guzerá PO produzindo mais de 40 kg de leite / dia, gerando bezerros que pesam mais de 500 kg aos 12 meses e filhas que procriam antes de completar dois anos de idade.